Ir direto para menu de acessibilidade.

Menu

Categoria: Notícias

Presídio de Itajubá é reconhecido como unidade escola no quesito humanização do atendimento

Compartilhar notícia

  • ícone de compartilhamento

Atividades desenvolvidas nas áreas de ensino, trabalho, saúde, assistência religiosa e familiar serão objetos de estudo de comissão e replicadas em demais unidades prisionais do Estado


Com cerca de 160 detentos trabalhando diariamente e outros 80 estudando, as boas práticas do Presídio de Itajubá, localizado no Sul de Minas, serão mapeadas por uma comissão composta por membros das mais diversas áreas do sistema prisional mineiro, que terá como intuito replicar para outras unidades prisionais de Minas Gerais os conhecimentos e processos das áreas de ensino, trabalho, saúde, assistência religiosa e familiar. A formalização do reconhecimento do Presídio de Itajubá como unidade escola foi publicada no Diário Oficial do último sábado, 05.01, por meio de uma resolução.

A unidade prisional de Itajubá destaca-se, não somente no Sul de Minas, mas em todo o estado, como um presídio que vai além do atendimento aos eixos determinados pela Lei de Execução Penal (LEP). O bom relacionamento dos diretores geral e de atendimento do presídio, Rodney Dantas Pinto e Leandro Rodrigues Palma, com instituições públicas e privadas, além da sociedade civil da região, possibilitaram por exemplo, o apoio a projetos sociais e filantrópicos que são realizados pela unidade prisional e reconhecidos pela comunidade.

A doação semanal de hortaliças cultivadas dentro da unidade para instituições carentes e a reforma de cadeiras de rodas para um lar que acolhe idosos são apenas alguns dos exemplos de projetos que são realizados pela unidade prisional em parceria com a sociedade civil.

A subsecretária de Humanização do Atendimento, Louise Bernardes Passos Leite, explica que a gestão do Presídio de Itajubá gera impactos positivos não apenas em relação ao atendimento, mas também em relação à segurança. “Vamos replicar os processos desenvolvidos em Itajubá em outras unidades prisionais com condições de recebê-los”, reforça a subsecretária.

Serão mapeadas as atividades das áreas de atendimento e outras áreas com potencial para ajudar na melhoria da gestão das unidades prisionais. Para o diretor de atendimento do Presídio de Itajubá, Leandro Rodrigues Palma, a escolha da unidade é resultado de um trabalho de equipe desenvolvido há anos. “Além do esforço e empenho de todos os servidores do presídio, contamos também com a participação de empresários, gestores públicos e familiares de presos”, enfatiza o diretor.

A comissão terá 60 dias para entrega de um relatório e mais 30 dias para verificar quais os processos são passíveis de serem replicados nas demais unidades prisionais do estado de Minas Gerais.

Números:

O Presídio de Itajubá conta com 160 detentos em atividades de trabalho externo e interno. São cerca de 60 presos trabalhando na empresa Montec, cujo galpão de trabalho instalado dentro da unidade ocupa uma área de 600m². São produzidas aproximadamente 120 mil peças por mês, de segunda a sexta-feira, como: extensões elétricas, cabos de rede, filtros de linha e vários outros itens.

Além da Montec, são 16 presos trabalhando nas prefeituras de Itajubá e Piranguinho; outros 16 na confecção de uniformes do sistema prisional para atender as demandas de todo o estado; quatro internos na serralheria realizando reparos na unidade e no projeto de confecção de cadeiras de rodas; na lavanderia são dois detentos; quatro na padaria instalada dentro da unidade; seis na horta da unidade, cuja colheita é destina à doação para instituições carentes do município; outros 16 na cozinha industrial que atende às demandas no presídio; dez presos no serviço de faxina interna e outros seis na oficina de reciclagem.

Por Bernardo Carneiro

Fotos: Omar Freire/ Imprensa MG